Seja bem vindo(a)!!!





Há mais 15 anos , apresento um programa de rádio intitulado "Canta Minas", na rádio Aranãs FM, de Capelinha MG, com enfoque exclusivo para a música mineira em todas suas vertentes. Sempre fui apaixonado por música e, assim sendo, tomei a iniciativa de criar este blog com a finalidade de divagar um pouco sobre as minhas impressões durante os mais de 12 anos de programa. Além da música também sou apaixonado por História e Literatura. Aqui, publicarei crônicas, causos e outras divagações a respeito de tudo que tenho vivido nesse pedaço de chão que é o Vale do Jequitinhonha. E como não pode deixar de ser, também escrevo sobre a minha querida terra natal, Corinto, e outras vivências pelo mundo afora que me ajudaram a construir uma história de gente comum, sem heroísmos, no entanto carregada pelos "sinais de humanidade"!!! Abraços Gerais!!!

banner

banner

quarta-feira, 30 de março de 2011

MEB COMEMORA 50 ANOS DE EXISTÊNCIA

Tadeu Oliveira participa da homenagem feita pelo Conselho Permanente da CNBB pelos 50 anos do MEB

No último 21 de março, o Movimento de Educação de Base (Meb), organismo vinculado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), comemorou 50 anos de existência prestando serviços à educação de base no Brasil. Porém, a comemoração aconteceu na quinta-feira, 24, na sede da CNBB, em Brasília, quando o Conselho Permanente da CNBB prestou uma homenagem através de sessão solene, realizada no auditório Dom Helder Câmara.

O presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, lembrou o pioneirismo do Meb na educação de base à distância no país, por meio das escolas radiofônicas, nascidas na Arquidiocese de Natal-RN por iniciativa do então bispo auxiliar, dom Eugênio de Araújo Sales.
Fonte: Site da CNBB
O Meb ganhou prestígio logo no seu nascimento, pois em 21 de março de 1961 o presidente da República em exercício, Jânio Quadros, editou o decreto que dispôs sobre o Programa de Educação de Base, no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. De acordo com o artigo 2º, o Meb executaria um plano qüinqüenal (1961-1965) para expandir e tornar crescente a rede escolar radiofônica. Foi a partir do decreto que o Meb adquiriu estabilidade funcional. Para isto, foram importantes também as figuras de dom Helder Câmara e dom Vicente Távora.

Entre 2003 e 2009 o Meb desenvolveu o "Programa Cidadão Nota Dez", em parceria com o governo de Minas Gerais. No estado do Maranhão participou com projetos de desenvolvimento sustentável de comunidades em situação de risco social (Fundo de Solidariedade da CNBB/Cáritas) entre 2007/2008 e com o Programa de Alfabetização Educadora Maranhão (Paema) entre 2008 e 2010. No Piauí, por sua vez, contou com o Programa "Nova Abolição" de 2007 a 2010.

O secretário executivo do Meb, padre Virgílio Leite Uchôa, ressaltou o método do Movimento ao longo de seus 50 anos. “O nosso método de educação de base popular é inédito. Visa à educação libertadora com inclusão social”, explicou. “As pessoas excluídas e não alfabetizadas, através de uma ação pedagógica, aprendem não apenas a ler e a escrever, mas a pensar a própria vida e a agir como atores sociais, capazes de sair de sua injusta situação na busca de autonomia pessoal e de suas comunidades”, acrescentou.

Para o MEB, a alfabetização de jovens e adultos, inserida no contexto da educação popular, significa não apenas a caminhada de indivíduos analfabetos considerados isoladamente, mas a promoção humana integral na busca da sua autonomia pessoal e de suas comunidades. Ou seja, uma alfabetização libertadora.

Foto: MEB

O meu primeiro contato com o Meb deu-se em outubro de 2003, na cidade de Montes Claros, quando participei da primeira capacitação de formadores para atuar no então nascente Programa Cidadão Nota Dez, executado pelo Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene). 

Naquela ocasião, vivemos momentos intensos e transformadores que marcaram de forma fundamental a minha vida, minha relação com a região e com os trabalhos desenvolvidos tanto no âmbito do Programa Cidadão Nota Dez quanto nos trabalhos com diversos corais populares.

Foto: Meb
Tive a honra e o privilégio de participar do evento em Brasília através de convite feito pelo Pe. Virgílio Leite Uchoa, secretário executivo do Meb. O Pe. Virgílio solicitou-me a composição de uma música que refletisse a história do órgão e a interpretasse neste evento dos 50 anos. Para atender ao desafio, contei com a ajuda da amiga e ex-alfabetizadora do Programa Cidadão Nota Dez, a pernambucana Gessi Souza, a força da minha amiga capelinhense Maria Letícia e busquei a parceria do amigo Jefferson Rayneres, capelinhense filho do cantor e músico Juvenal Cordeiro. Jefferson também foi responsável pela melodia da música. Veja abaixo a letra na íntegra:

TRIBUTO AO MEB

Autoria: Tadeu Oliveira/Jefferson Rayneres/Gessi Souza

Diz a história que ouvi contar por um padre
No sertão, num outro tempo de paz
Deus criou flores nos mandacarus
Fez chover uma tempestade de luz

Nasce o Meb com a liberdade a cantar
A vitória da educação popular
E seu canto penetrou os corações
Dos viventes, nas cidades e nos grotões

Mas veio a noite escura
O medo veio vigorar como lei

Pois homens de ferro sem flores na mão
Queimando cartilhas, calando a canção
Mentindo e agredindo a voz da mudança
Com as lanças do medo venceram a esperança

Agora eu vejo, novo dia amanheceu
O mesmo sol no horizonte renasceu
A esperança veio o medo derrotar
Vejo o Meb, o mesmo que eu ouvi falar

“A causa das coisas”, este é o nosso caminho
Em comunhão, jamais estamos sozinhos
Relendo o mundo, para ver o que nunca se viu
“Saber, viver e lutar” é o nosso ideal pro Brasil

Ver o mundo precede a palavra
Julgar o que vê dá sentido à palavra
Agir com o que julga transforma a palavra
E a vida

% % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % % %% % % % % % % % % % % % % %
Para saber mais, acesse:




Nenhum comentário:

Postar um comentário