Seja bem vindo(a)!!!





Há mais 15 anos , apresento um programa de rádio intitulado "Canta Minas", na rádio Aranãs FM, de Capelinha MG, com enfoque exclusivo para a música mineira em todas suas vertentes. Sempre fui apaixonado por música e, assim sendo, tomei a iniciativa de criar este blog com a finalidade de divagar um pouco sobre as minhas impressões durante os mais de 12 anos de programa. Além da música também sou apaixonado por História e Literatura. Aqui, publicarei crônicas, causos e outras divagações a respeito de tudo que tenho vivido nesse pedaço de chão que é o Vale do Jequitinhonha. E como não pode deixar de ser, também escrevo sobre a minha querida terra natal, Corinto, e outras vivências pelo mundo afora que me ajudaram a construir uma história de gente comum, sem heroísmos, no entanto carregada pelos "sinais de humanidade"!!! Abraços Gerais!!!

banner

banner

sábado, 11 de dezembro de 2010

FESTUR: 25 ANOS DE ARTE, MÚSICA E POESIA

EM SUA  25ª EDIÇÃO, UM DOS MAIORES FESTIVAIS DE MÚSICA DE MINAS VAI COMEMORAR BODAS DE PRATA




O 25º FESTUR acontecerá novamente no reveillon, a exemplo da última edição. Junto com o festival, será comemorado também o 62º aniversário de emancipação política de Turmalina.

As notícias dão conta que o período eleitoral acabou comprometendo a realização do evento em setembro, já que o feriado do dia 07 é a data oficial do festival. Embora a data oficial seja setembro, o primeiro Festival da Canção de Turmalina aconteceu no dia 1º de janeiro de 1983. Naquele FESTUR, o cantor Arnô Maciel conquistou o primeiro lugar defendendo a música "Pintura", composta pelo seu irmão Arlindo Maciel e posteriormente gravada por Paulinho Pedra Azul. Coube ao cantor e compositor Rubinho do Vale abrilhantar a festa com o show e o  lançamento do seu disco “Tropeiro de Cantigas”.

O FESTUR não foi obra do acaso. Paulo Sérgio Paggani Vieira Machado, um jovem idealista oriundo de Corinto, fora trabalhar na agência da MinasCaixa em Turmalina e se uniu a outros jovens turmalinenses para criar o FESTUR, a exemplo do que fizera em Corinto. Três anos antes, Paulinho Paggani criava,  junto com vários jovens corintianos, o FECOR (Festival da Canção de Corinto), influenciados pelos festivais nacionais e pelos ventos da democratização que começavam a querer soprar para longe a ditadura militar. (Este blogueiro teve o privilégio de conviver e participar desta turma e de atuar na organização do FECOR. Além disso, teve também o privilégio de atuar como oficineiro e jurado em duas edições do FESTUR, em 2003 e 2004).

Infelizmente, quis o destino que na manhã de neblina do dia 23 de fevereiro de 2008, Paulinho Pagani e mais três pessoas morressem no acidente com o avião modelo Corisco II, ao se chocar contra o paredão da Serra do Curral, em Belo Horizonte, e explodir. Paulinho, que desde os tempos da juventude em Corinto sonhava ser piloto de avião, foi homenageado com justiça em vida por diversas vezes e postumamente no 23º FESTUR, em 2008. Aliás, até hoje Paulinho Paggani é lembrado com muito carinho e respeito por ter plantado esta semente na cidade de Turmalina.

De lá para cá, serão 25 edições, pois durante três anos (1996, 1998 e 2001) o festival não aconteceu por causa de problemas como a falta de água devido a uma grande seca que assolou a região em fins da década de 1990 e um surto de meningite na cidade. 

O FESTUR é um festival que, por força estatutária e de regulamento, “privilegia composições inéditas, voltado a todos os gêneros e estilos da música popular brasileira e tem como objetivo fazer o intercâmbio e troca de experiências entre músicos, compositores, intérpretes, poetas e artistas que venham a valorizar a produção musical e cultural de Turmalina e Região”. Porém, como tem acontecido com a maioria dos festivais da canção, hoje se valoriza muito mais os grandes shows do que propriamente a revelação de jovens talentos. Além disso, existem hoje no Brasil os profissionais de festivais, artistas que não conseguem se inserir no mercado midiático e por concorrerem ao do longo tempo em vários festivais do Brasil e conhecerem seus mecanismos de funcionamento, compõem suas músicas de forma a se enquadrar no espírito do festival em questão. Consequentemente, tornam-se “papadores de festivais”.

No entanto, o FESTUR, a exemplo de outros festivais, tem revelado artistas de qualidade inquestionável. Pelos palcos do FESTUR já concorreram nomes que hoje vem se destacando como grandes revelações da música de Minas, como é o caso de Vander Lee e Pedro Morais.

Este ano, serão distribuídos cerca de R$ 10.000,00 em prêmios entre as categorias MP e Sertaneja e o Prêmio Cidade de Turmalina.

Segundo o radialista Ailton Santana em seu blog, o que se comenta no momento é que “o projeto apresentado para a captação de recursos para a realização do festival chega a 300 mil reais. Sinal de que haverá shows de alto nível! Quanto ao visual, a cor prata deverá predominar, em função dos 25 anos, e os shows chamados de Prata da Casa, deverão ser bem mais valorizados”. Inclusive, há uma grande torcida para que haja um show com a brilhante Corporação Euterpe Homero Maciel.

Realizado em praça pública desde sua primeira edição, o FESTUR sempre teve como maior desafio a resistência aos shows com apelos midiáticos e sempre tentou manter em sua programação atrações da cultura tradicional e shows de artistas regionais. No entanto, a cada ano percebe-se que há uma mudança no perfil desses shows. Segundo informa Ailton Santana em seu blog, os organizadores do festival creditam parte das dificuldades o grau de exigência do público, o que tem obrigado a trazerem para Turmalina shows de renome nacional. No entanto, Turmalina vem resistindo aos mega-shows, principalmente aqueles que os artistas que passaram pelo FESTUR durante das 24 edições anteriores: Pereira da Viola, Paulinho Pedra Azul, Saulo Laranjeira, Lombinho com Cachaça, Geraldo Azevedo, Flávio Venturini, Guilherme Arantes, Belchior, Capital Inicial, Engenheiros do Hawai, Ira, Biquíni Cavadão, Nenhum de Nós, Tia Nastácia, Pepeu Gomes, Menina do Céu. 

Para este ano, a organização do Festival optou pelos shows com bandas cover, o que tem gerado algum descontentamento em algumas pessoas que sempre atuaram ativamente na construção histórica do FESTUR. 


Confira, abaixo, a aprogramação do 25º FESTUR:

30/12 - QUINTA–FEIRA
12 h – Véspera Festiva
20 h – Apresentação das Músicas Concorrentes
23 h – Show Orquestra Sinfônica (Corporação Euterpe Homero Maciel)
23 h – Show BATUKAE

31/12 – SEXTA-FEIRA
13 h – Prata da Casa (Espaço reservado aos poetas e cantadores)
16 h – Resultado das Músicas Classificadas
21 h – Banda REPÚBLICA
22 h – Entrega de prêmios e troféus aos vencedores do FESTUR
23 h – Show (Sertanejo Universitário) LIDIANE E BRUNO MAIA
00 h – Queima de Fogos
01 h – Aniversário de Turmalina
01 h – Show BANDA TIMBALÔ.

01/01 – SÁBADO
10 h – Feira Livre do Artesão
14 h – Apresentações Folclóricas
22 h – Noite Cover
TRÊM DAS SETE – BEE GEES ALIVE – U2 COVER

02/01 – DOMINGO
10 h – Feira Livre do Artesão
14 h – Música Livre – OMAR & ROBERVAL
20 h – Momento Gospel
22 h - Banda RITMIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário