Seja bem vindo(a)!!!





Há mais 15 anos , apresento um programa de rádio intitulado "Canta Minas", na rádio Aranãs FM, de Capelinha MG, com enfoque exclusivo para a música mineira em todas suas vertentes. Sempre fui apaixonado por música e, assim sendo, tomei a iniciativa de criar este blog com a finalidade de divagar um pouco sobre as minhas impressões durante os mais de 12 anos de programa. Além da música também sou apaixonado por História e Literatura. Aqui, publicarei crônicas, causos e outras divagações a respeito de tudo que tenho vivido nesse pedaço de chão que é o Vale do Jequitinhonha. E como não pode deixar de ser, também escrevo sobre a minha querida terra natal, Corinto, e outras vivências pelo mundo afora que me ajudaram a construir uma história de gente comum, sem heroísmos, no entanto carregada pelos "sinais de humanidade"!!! Abraços Gerais!!!

banner

banner

domingo, 5 de dezembro de 2010

CAUSO 3: DE PENTE E DE CORTE



DE PENTE E DE CORTE
Tadeu Oliveira

Os meninos, todas as tardes, chegavam em casa empoeirados após os treinos no campo de terra do Guarany Atlético Clube ou do  time do Botafoguinho, treinado por seu Biduca.
Como não havia chuveiro elétrico, os que chegavam à frente iam logo pegando a água quente do fogão à lenha e temperando com água fria no chuveiro-balde. Enquanto iam se revesando para o banho, alguns deles discutiam acaloradamente cada lance do treino utilizando aqueles termos do futebol, herdados da língua inglesa:
─ Sabe aquela bola que você dividiu comigo lá na linha de fundo da grande área? ─ Dizia um.  ─ Então,foi córner. O treinador errou e ainda me expulsou do treino, seu chorão!
─ Qualé!  ─ retrucava o outro. ─  Você entra por baixo, faz a falta e quase quebra minha perna, seu covarde! Foi pênaltiiii!!!
─ Foi córner!!!
─ Foi pênalti!!!
─ Foi córner!!!
─ Pênaltiii!!!
─ Córnerrr!!!
E assim, iam nessa discussão toda até que mamãe, embora semi-analfabeta, mas de espírito vivaz (e quase sempre impaciente, é verdade), interferia no bate-boca:
─ Olhe aqui, "ocês" parem com essas discussões "boba" e vão logo tratar de tomar banho. Nunca vi!!! Todo dia "cês" vem com essa besterira de ficar discutindo esses “trem” de jogo... é um tal de “pente” e de “corte” que nunca vi! Que coisa mais besta!

Fonte da ilustração: Wildhagen, Cid [org.]. Almanarte: Saberes e Fazeres da Cultura Popular. Belo Horizonte: IDENE / Ed. Crisálida, 2010.

4 comentários:

  1. Tadeu, até imagino a cena...rsrs...
    Amei!
    Continue nos brindando com essas histórias,
    e seu jeito tão especial de contá-las.
    Um grande e forte abraço, Eloá.

    ResponderExcluir
  2. TADEU, ESSE EU TÔ LEMBRANDO DE VÓ ZEFINHA. JÁ ESTOU DIVULGANDO. ABRAÇOS!! CLOVINHO

    ResponderExcluir
  3. Oi Tadeu,
    Que grata surpresa encontrar você. Desconhecia esse seu lado. Gostei! Parabéns!
    É claro que vou continuar acompanhando.

    Ila Lopes.

    ResponderExcluir
  4. Eloá, Clovinho e Ila,

    que bom saber que gostaram dos meus escritos. Clovinho, com certeza teremos outros causos da saudosa Vó Zefinha pra contar
    Ila, na verdade música, literatura e história sempre foram as coisas que me atraíram. Depois de maduro, resolvi criar coragem e entrar nessa onda. Tive o privilégio de conviver de perto com seu tio Raimundo Lima e ele foi uma das pessoas que mais me incentivou a penetrar nesse universo.
    Eloá, quero ver seus escritos publicados. Sei que vc tem pérolas para nos mostrar.

    Abraços Gerais!!!
    Inté, uai!!!

    ResponderExcluir